Um site para quem precisa da Verdade
PREGAÇÕES

Ap 16a - Adorando melhor - Ap 4.8-11


Mauro Clark - 27/05/2018
58 minutos




Apocalipse 4.8-11

Adorando melhor

Ap 4.8-11


Temos visto a magnífica cena no céu, com o trono em que Deus Pai estava sentado, uma representação do Espírito Santo diante do trono, muita luz, majestade, glória, 4 seres viventes e 24 anciãos misteriosos e poderosos.

Mas até aqui João falara apenas da aparência do que via.

Faltava descrever o que estava acontecendo, a atividade deles. É o que diz agora:


v.8b

Os 4 seres viventes... não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando...

Agora sabemos o que estavam fazendo: adorando sem cessar ao que estava no trono!

Interessante: eram seres muito diferentes de nós, a ponto de não sabermos nem descrever exatamente quem eram e qual a sua aparência.

Mas tinham algo em comum conosco: adoravam o mesmo Deus que nós!

Ora, a característica mais importante de uma criatura racional é o modo como se relaciona com o seu Criador.

E como nós, crentes, e os seres angelicais, adoramos ao mesmo Deus Criador, nossa semelhança é mais significativa que as diferenças.

São nossos conservos, são nossos amigos, conviveremos com eles toda a eternidade.

Considere os seres angelicais nas suas reflexões, agradeça a Deus por eles.


Mas, mesmo adorando ao mesmo Deus, será que eles adoravam de modo diferente?

... proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir.

É o mesmo tipo de adoração, mesma forma, mesma doutrina que a nossa!

Lembra Is 6.3, com a repetição tripla de “Santo”, sugerindo a Trindade.


Estavam concentrados em exaltar três atributos de Deus:

1. Santidade: ideia de puro e separado

Estavam absolutamente extasiados com a santidade do Criador e não paravam de dizer.

Quanto mais você se convencer da santidade de Deus, mais você terá vontade de adorá-Lo, de divulgar isso e mais cuidará da sua própria santidade.


2. Onipotência: Todo Poderoso, nada lhe escapa ao poder.

3. Eternidade: sempre foi, sempre é. Parece com Ex 3.14: Eu Sou o que Sou.

Quer alívio quando se angustiar com doenças e morte? Medite na eternidade de Deus.


... e que há de vir

Em vez de “aquele que era, que é e que sempre será”, lemos “que há de vir”.

Mas Ele já estava lá!

Por que a troca de verbo? Talvez se refira à chegada plena do reino de Deus do ponto de vista da humanidade e da Criação, a entrada de Cristo como Rei visível e para sempre com os redimidos.


Antes de continuar:

É implícita a intensidade, a dedicação, o prazer com que os seres viventes adoravam.

Lição para você: “Se seres maiores do que eu em força e poder, gostam tanto de adorar a Deus, por que não eu?”

E mais: não acho que eles ficavam toda a eternidade naquele mesmo local e dizendo exatamente as mesmas palavras. Deviam ter suas missões, tarefas celestiais.

Mas naquele momento era o que João viu e sabia que faziam isso tão constantemente que os caracterizava. Que modelo!


v.9-10

Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graças ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos, os 24 anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono...

Há várias referências sobre os 24 anciãos adorando a Deus, mas esta é a única que fala em depositarem as coroas. Não é claro se farão isso toda vez ou apenas na última.

O gesto é belíssimo e representa:

1. Reconhecimento: tudo o que conseguiram, foi dado pela graça de Deus

2. Gratidão: tudo o que poderiam fazer, queriam dedicar a Deus.

São 2 virtudes fundamentais para quem deseja ser um vibrante adorador de Deus!


Mas isso não é tudo: ao mesmo tempo em que depositavam as coroas, os anciãos proclamam a 2ª. doxologia do livro.

Conforme já falei, estaremos interessadíssimos no conteúdo dessas doxologias.


v.10b-11:

... proclamando: Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas


Os seres viventes exaltaram atributos divinos à parte da Criação (santidade, onipotência e eternidade).

Mas os 24 anciãos focalizam em Deus como Criador de tudo.

Começam dizendo que Ele é digno de receber 3 coisas: glória, honra e poder.


Note: glória e honra são coisas que Deus de fato recebe dos adoradores. Mas, e poder?

Deus sempre teve poder inerentemente. Como receberá isso dos adoradores?

Sugestão: Será a 1ª. vez que a Criação verá isso de maneira clara, aberta, exposta.

Seria algo como “Tu és digno de receber o reconhecimento do poder que sempre tiveste”.

Mas, por que Deus é digno de tanta glória, honra e poder?

Porque criou todas as coisas exatamente como quis

Foco concentradíssimo na Criação, uma Criação concebida em detalhes e feita exatamente como Deus projetou!


Verdade rejeitada por milhões que não creem que tudo foi criado por um Deus Criador.

Outros creem porque acham razoável, lógico, mas não tem comunhão com esse Deus.

Felizes de nós, crentes, que cremos e adoramos esse Deus Criador!


Que Deus nos abençoe! Amém



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com