UM SITE PARA QUEM PRECISA DA VERDADE
MINISTÉRIOLIVROSCONFERÊNCIASCONTATO
PREGAÇÕESMEDITAÇÕESARTIGOSAUDIOBOOKPENSE NISSOLI E COMPARTILHO
PREGAÇÕES
Desobediência fatal (61 min)

Mauro Clark - 01/07/2012
Temos muito o que aprender com um profeta que, em poucas horas, passou de servo fiel e corajoso a tolo e desobediente. E pagou um preço muito alto.




1 Reis 13.1-32

(Sendo o texto muito longo, sugerimos você ler diretamente na sua Bíblia).



Pano de fundo: época: 900 aC. Reino dividido. A profecia seria cumprida 350 anos depois, com Josias (reinou 640aC - 609aC).

v.6-10
Vemos um profeta em plena atividade, eficiente, poderoso (uma profecia detalhada, com nome e data, mais dois milagres em pouco tempo), corajoso e fiel a Deus.
Fez muito bem o seu trabalho, e agora volta para casa, conforme Deus mandou.
Entra em cena um outro profeta. Esse profeta causa estranheza: velho (talvez sem atividade), morando com a família no último lugar que se esperava para um homem que servia a Deus: num dos dois centros de idolatria estabelecidos pelo rei Jeroboão (o outro foi em Dã).

v.11-18
Pela 2a. vez o homem de Deus foi fiel. Essa vez mais difícil que a 1a., pois ali o convite foi do rei, grande pecador e infiel a Deus. Agora vem de um colega profeta!
Duas observações:
1) Perigo de ser enganado por alguém que se diz crente, falando coisas de Deus.
2) A honestidade da Bíblia: o profeta velho mentiu!
Sempre é bom lembrar que os profetas eram homens como nós. A diferença é que quando falavam da parte de Deus, não erravam.
O profeta comete um pecado gravíssimo, mentindo usando o nome de Deus e tentando enganar um colega em plena missão.

Por que fez isso? Não sabemos. Duas alternativas prováveis:
a) Queria ver um colega mais novo, vindo de Judá e teria prazer em oferecer a ele uma refeição. Mas estava frio espiritualmente, totalmente CONTAMINADO com a idolatria de Betel, consciência endurecida, não se incomodou em mentir para conseguir o que queria. E talvez nem se tocou com as conseqüências que poderiam vir sobre o colega.
Cuidado com a frieza espiritual, que lentamente endurece a consciência, cega a visão para as coisas de Deus. 

b) Invejoso, tentou prejudicar o ministério do outro, tão em evidência.

Seja como for, com sede e fome, o homem de Deus deve ter se sentido muito tentado. A pergunta óbvia que vem à mente é: E agora, o homem de Deus irá? 

v.19
Sim, ele foi. A situação é clara: primeiro, recebeu uma ordem direta de Deus: não beba e não coma.
Depois, um outro profeta (desconhecido) diz que recebeu uma ordem de um anjo de Deus dizendo o contrário. Estava numa encruzilhada: qual rumo seguir?
Mas não era um impasse difícil de resolver: a revelação direta de Deus deveria ter prioridade sobre um homem dizendo que um anjo dizia que Deus mandava o contrário!
Aliás, a principal característica de um profeta era exatamente que recebia revelações diretamente de Deus e não através de RECADOS! Se Deus tivesse mudado de orientação, avisaria diretamente.

Por outro lado, essa era daquelas situações em que a solução TEÓRICA é fácil, mas colocar em prática é muito duro. O coitado devia estar morto de fome e sede! E agora tinha uma desculpa com a suposta contra-ordem de Deus: “Eu não queria ir, mas o velho profeta disse que um anjo disse que o Senhor disse!!!”
Desculpa meio esfarrapada, mas suficiente para enfraquecer a consciência.

Cuidado com raciocínios e decisões em momentos críticos, como fome, dor, emoção forte, atração sexual. O instinto é tão forte que pode sufocar a consciência, mesmo que esteja gritando e alertando contra algum pecado.

O fato é o homem foi pelo caminho mais fácil, mais cômodo, e mais PERIGOSO!
v.20-24
O que começa como uma bela história de um profeta fiel, termina como uma triste e violenta tragédia de um homem desobediente, condenado a uma morte terrível!
Prova de que o leão foi diretamente enviado por Deus é que, contra seu instinto, não devorou o homem e nem atacou o jumento. E nem os passantes e o velho profeta.

Nossa tendência é olhar pelo ponto de vista humano e ficar com pena do homem e achar Deus excessivamente duro. Mas não é sábio agir assim. Afinal, Deus não vai agir pelo que NÓS achamos certos. Nós é que precisamos tentar compreender o ponto de vista de Deus.

Será que Deus gostou de:
* Ter sido desobedecido?
* Ter de disciplinar e matar o Seu profeta, perdendo um servo numa época de tanta idolatria?
* Expor a fraqueza do profeta e prejudicar o trabalho que havia acabado de fazer, mostrando a veracidade de palavra de Deus?
Certamente que Deus não gostou! Ele fez porque que era necessário e certamente tinha outros propósitos a cumprir com tudo isso.

É importante compreender que às vezes Deus age contra o desejo do coração dEle. Nessa passagem sabemos porque Ele agiu assim, mas geralmente Ele não nos revela os detalhes das suas ações. Cuidado ao estranhar certos caminhos de Deus.

Interessante: agora a mensagem veio não mais para o homem de Deus, mas para o velho profeta, que mentiu. É como se o homem de Deus tivesse sido punido com a perca do ministério de profeta e voltado a ser uma pessoa comum. Deve ter sido constrangedor para o velho profeta ser desmascarado pela própria boca.
A mentira traz constrangimentos que nem imaginamos.

DUAS lições importantes:
1) Cuidado em desobedecer a Palavra de Deus, mesmo quando existem circunstâncias que aparentemente justificam a desobediência.
É muito comum:
* Minha namorada não é crente e vou casar com ela, mas é uma pessoa tão boa.
* Eu sonego impostos, mas estou apenas repondo o que é meu e os políticos roubaram.
* Eu minto de vez em quando, mas não prejudico ninguém
* Estou em sociedade com um não crente, mas que sujeito honesto.
* Eu atrasado com meus dízimos e ofertas, mas Deus sabe do meu aperto.
* Reconheço que nosso namoro está muito avançado, mas nós nos amamos tanto! 

Na Bíblia, Deus já se pronunciou sobre essas situações: É CONTRA!

O homem de Deus não tinha que ENTENDER e nem CONCORDAR com a ordem de não comer e nem beber, mas apenas OBEDECER. E nem deveria ter ouvido um colega em detrimento do próprio Deus.

Muitos crentes argumentam que desobedecem a Deus porque não compreendem ou não concordam com determinada orientação bíblica. Mas não isso justifica: tem que OBEDECER!
Outros ouvem tanto os seus pastores, que deixam a Bíblia em segundo lugar. ERRADO!
Não serve como desculpa dizer “Eu também acho que a Bíblia não aprova tal assunto, mas o pastor não vê assim.”

2) Por mais firme que seja o crente, PODE CAIR.
A advertência da Bíblia é clara: 1Co 10.12  Vida cristã vitoriosa e bênçãos não significam que você está livre de cair. Ao contrário: quanto mais o crente tem testemunho forte e se torna exemplo, ou tem um ministério exposto, mais Deus será exigente com o testemunho dele. Uma queda trará prejuízo maior para o Seu reino.
Ao mesmo tempo, mais Satanás irá tentá-lo!

Fico pensando se o pobre homem de Deus não escorregou na armadilha do pensamento: “Presenciei DOIS MILAGRES hoje, fui corajoso em falar com o rei, fui fiel com Deus; ora talvez Deus esteja me dando um prêmio. Reconheço que é esquisito Ele não me falar direto, mas deve haver um motivo.” 

Talvez em outra ocasião Deus não tivesse sido tão exigente com o Seu servo, mas logo naquele dia, no país vizinho, todo mundo comentando sobre a mão do rei que tinha secado, sobre a coragem do homem de Deus em afrontar o rei, etc. Aquela era uma circunstancia muito especial. O profeta estava em muita evidência; não podia falhar. Note que o velho profeta deve ter sido disciplinado (talvez a própria dor na consciência), mas não de maneira pública, como o outro.

Termino com uma passagem que se encaixa como uma luva: Fp 2.12 

Você, amigo: se Deus é exigente com o comportamento de um crente, quando mais será com alguém que não foi perdoado em Cristo. Só que essa exigência ficará clara no inferno.

Que Deus nos abençoe. Amém



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Receba os nossos boletins
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com