UM SITE PARA QUEM PRECISA DA VERDADE
MINISTÉRIOLIVROSCONFERÊNCIASCONTATO
PREGAÇÕESMEDITAÇÕESARTIGOSAUDIOBOOKPENSE NISSOLI E COMPARTILHO
PREGAÇÕES
Desce Depressa! (51 min)

Mauro Clark - 22/05/2005
História de um coletor de impostos, rico e importante, arrependido da vida que levava. Esse homem demonstrou forte interesse em Jesus, que por sua vez correspondeu, salvando aquela alma angustiada . A pregação aproveita essa bela história para discorrer sobre os principais pontos de um processo de salvação.


Lucas 19.1-10

Entrando em Jericó, atravessava Jesus a cidade.

2  Eis que um homem, chamado Zaqueu, maioral dos publicanos e rico,

3  procurava ver quem era Jesus, mas não podia, por causa da multidão, por ser ele de pequena estatura.

4  Então, correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque por ali havia de passar.

5  Quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa.

6  Ele desceu a toda a pressa e o recebeu com alegria.

7  Todos os que viram isto murmuravam, dizendo que ele se hospedara com homem pecador.

8  Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais.

9  Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão.

10  Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.

 

Esta é uma história interessante e cheia de lições.

 

Versículos 1-4

O personagem principal é Zaqueu, um homem rico (coletor de imposto), importante e... baixinho.

 

Jesus atravessava a cidade e Zaqueu desejou vê-Lo.

Surge um obstáculo: pessoas à sua frente. Sendo baixo, ele não via.

 

O que ele fez, desistiu? Não. Transpôs o obstáculo, subindo numa árvore.

E foi correndo, para não perder a oportunidade.

 

Fácil, não? Para uma criança, sim. Mas um adulto agarrado nos galhos de uma árvore, ainda mais um homem rico e conhecido na cidade – era simplesmente ridículo.

Imaginem o Delegado da Receita Federal numa árvore, no desfile de 7 de setembro.

Isso, sem considerar a posição incômoda e perigosa.

Mas ele queria de qualquer maneira ver Jesus, que estava passando.

 

Versículo 5

De repente ocorre o inesperado: Jesus olha para cima, chama Zaqueu pelo nome e diz que deseja ir para a casa dele.

Observem a reciprocidade de Jesus. Zaqueu demonstrou interesse em Jesus, Jesus correspondeu fartamente.

Zaqueu queria apenas ver Jesus e agora Jesus se autoconvida para ir até a casa dele.

 

Versículo 6

Zaqueu não inventa nenhuma desculpa, tipo “Não arrumei a casa, agora tenho um compromisso” etc.

Ao contrário: desce rapidamente e O recebe.

E de que maneira ele recebe Jesus: Com formalidade, constrangido? Não, com alegria!

Algo estava ocorrendo dentro do coração daquele homem.

 

Versículo 7

Não demora a crítica dos judeus por Jesus estar com pecadores.

Quem reagia assim, não entendia 2 coisas:

1.     Jesus veio mesmo ter contato com pecadores. Não para pecar com eles, mas para salvá-los. O versículo 10 deixa isso bem claro.

2.     Eles próprios, que criticavam, também eram pecadores.

 

Versículo 8

Algo extremamente marcante ocorreu com Zaqueu.

Ele se levanta e comunica duas decisões:

1.     Doar voluntariamente metade dos seus bens. Observe que Jesus não pediu isso.

2.     Devolver em quádruplo o que tinha exagerado nas cobranças dos impostos.

 

Estava óbvio que uma tremenda mudança estava ocorrendo no íntimo de Zaqueu.

Uma mudança causada pelo arrependimento.

Tudo indica que até aquele ponto ele tinha girado a sua vida em torno de dinheiro, tendo inclusive feito coisas erradas para consegui-lo. Agora dava uma guinada.

 

Versículo 9-10

Se havia ainda alguma dúvida de que algo ocorrera com Zaqueu, Jesus agora deixa claro: ele fora salvo.

 

E ensina algo fundamental sobre a salvação: é algo que ocorre com uma determinada pessoa (este também é filho de Abraão), num determinado momento (hoje), num determado local (nesta casa).

 

Não é à toa que é chamada de novo nascimento, algo bem definido.

Cada um aqui teve hora e local certos de nascer.

Pois cada crente teve hora e local definidos de nascer de novo, de se converter.

 

Existe nesta história algo muito interessante: o caráter de urgência.

- Zaqueu corre para a árvore.

- Jesus manda-o descer depressa.

- Zaqueu desce a toda pressa.

 

E qual o nascimento que também não é cercado por um clima de pressa?

Aqui vemos um bebê espiritual nascendo.

E Jesus no final, como médico, exibe orgulhoso a criança.

 

Esta história é uma verdadeira aula sobre a doutrina da salvação.

Um pequeno Manual de Salvação.

De saída, uma grande lição sobre salvação:

Até ali Zaqueu era um homem desonesto. Jamais teria sido salvo se a salvação fosse por obras. Mas a salvação é exclusivamente pela , que por sua vez é dada pela graça de Deus.

Efésios 2.8-9: Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.

 

Tito 3.4-7: Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.

 

Vejamos alguns sinais ou indícios de que um processo de salvação deve estar em andamento no coração de alguém e como a pessoa deve reagir.

 

1o. sinal: Vontade forte, quase incontrolável de conhecer melhor Jesus.

Como reagir: satisfaça essa vontade. Exponha-se a Cristo, das mais variadas maneiras: lendo a Bíblia, ouvindo pregações, lendo livros sobre Ele, conversando, tirando dúvidas.

 

2o. sinal: Surgem dificuldades.

É impressionante a quantidade de crentes que falam das dificuldades que surgiram quando estavam em processo de conversão.

Como reagir? Simples: não desista!

Isso é exatamente o que Satanás quer. E a sua própria carne. E o mundo.

Você acha razoável satisfazê-los?

Lembre-se que uma forma de desistir é inventar desculpas: quando eu entender a justiça de Deus eu penso nisso; quando ficar mais velho aí eu vou considerar a morte etc.

 

 

3o. sinal: Reciprocidade de Jesus Cristo.

A pessoa sente como se Cristo estivesse querendo vir habitar dentro dela.

E não é apenas sensação. Cristo quer mesmo!

E a partir de certo ponto, tudo parece se passar meio rápido, como se fosse urgente, como se Cristo estivesse logo querendo realizar aquela obra de salvação.

Como reagir? Abra o coração. Não resista ao que o Espírito Santo quer fazer.

 

4o. sinal: Alegria por isso tudo estar acontecendo.

A pessoa, antes hostil, agora sente-se tomada por uma alegria diferente de tudo o que já sentira antes. Uma espécie de euforia interna. A pessoa de Cristo lhe parece cada vez mais agradável, mais atraente. Surge uma grande simpatia por Ele.

 

5o. sinal: Sensação de indignidade para ter relacionamento íntimo com Cristo.

A pessoa se sente devedora a Deus. É o arrependimento chegando.

Está meio fora de moda os pregadores falarem da necesside de arrependimento para a salvação. Tudo o que dizem é: Aceite Jesus! – sem explicar que Jesus não vai salvar ninguém que não se arrependeu.

 

Finalmente a salvação pessoal se completa, com a entrega a Cristo em adoração.

E a conversão ocorre, num determinado momento, num determinado local.

 

Amigo, faça como Zaqueu. Procure ver Jesus, vá depressa quando Ele lhe chamar, arrependa-se e torne-se uma nova criatura!

 

Que Deus nos abençoe.

 

- Amém -



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Receba os nossos boletins
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com