PREGAÇÃO

CÉU

Várias passagens      minutos      21/08/2022         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close CÉU
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

Após falar de inferno, como fiz em mensagem anterior, é um grande prazer falar do CÉU!

“Céu” na Bíblia tem várias conotações:

* Atmosfera (ar, chuva, nuvens)

* Estratosfera (sol, lua, astros)

* Lugar não-físico, chamado de habitação de Deus (Dt 26.15), onde estão os anjos e para onde vão os salvos atualmente.
É um local além do nosso conhecimento e capacidade de compreensão.
Pode ser o “terceiro céu” a que Paulo se referiu em 2Co 12.2.

 

Daqui em diante estarei me referindo ao céu nesse último conceito.

Este não é um estudo detalhado sobre tudo o que Bíblia fala sobre o céu.

(Na realidade, nem há há um ensino sistemático e muito claro sobre o assunto, na Bíblia).

O plano de Deus é dinâmico, com muitas mudanças até o estágio final de novo céu, nova terra e uma Nova Jerusalém.

Há variação no modo e local como os redimidos gozarão a eternidade, após a vida aqui.

 

Hoje: Vai imediatamente para a presença de Deus (Fp 1.23), ou seja, para o céu, que neste estágio é chamado de PARAÍSO (como Jesus falou ao ladrão, em Lucas 23.43).

Nesse estágio, o salvo ainda não tem corpo glorificado, que receberá no Arrebatamento.

 

Durante a Tribulação: Os que haviam morrido antes e os arrebatados estarão com Cristo no Paraiso, já com os corpos glorificados.

Os mortos durante a Tribulação: estarão no céu, “embaixo do altar”, aguardando algumas coisas acontecerem. Ap 6.9-11

 

Durante o Milênio: Os salvos atuarão ativamente Terra, mas não é definido onde habitarão nesses mil anos.

Uns acham que será na própria Terra. Outros sugerem que será num lugar celestial.

 

Após o Milênio: É o último estágio, definitivo: novo céu, nova  terra e a Nova Jerusalém que desce desse novo céu. Ap 21.1-4, 9-11

É nessa fase definitiva que estamos interessados.

Não descreveremos detalhes do aspecto físico desses lugares.

A Bíblia contém várias descrições, difíceis de discernir até que ponto são matafóricas e até que ponto são literais.

E mesmo na literalidade, se referiria a realidades diferentes da nossa experiência.

 

Tentaremos descobrir algumas características do estado eterno de salvo.

As descrições algumas vezes se confundem.

Há textos que misturam o estado de salvo durante o Milênio e durante o estado eterno.

Exemplo: Is 65.17-25

 

Muita gente imagina o céu como um lugar no espaço, com muitas nuvens.
Mas o céu é descrito também como uma cidade, numa nova terra!

É ali onde Deus habitará com os salvos.

 

As passagens abaixo referem-se ou a algumas características dessa cidade santa, Nova Jerusalém, ou, de modo geral, a características da situação eterna dos salvos:

 

* Não há qualquer tipo de sofrimento (dor, saudade, tristeza): Ap 21.4

* Alegria: Sl 16.9-11; Lc 15.7 (de Cristo: Hb 12.2)

* Não haverá morte: Ap 21.4

* O salvo terá seu nome arrolado: Lc 10.20
Qualquer um tem prazer em ver o próprio nome aprovado numa lista.
Ainda mais quando essa lista for a relação dos habitantes do céu!

* Não há noite, nem luz do sol, pois Deus é a Luz: Ap 21.23; 22.5

*Veremos Cristo e a Deus (Pai) face a face: Ap 22.3-4

* Serviço, mas sem cansaço: Ap 22.3

* Não há imoralidade, mentira e nem assassinatos: Ap 22.15

* Não há injustos, impuros, idólatras, adúlteros, efeminados, imorais, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes. Que rigorosa seleção! 1Co 6.9-10

* Para sempre na companhia de Cristo: Jo 17.24; 1Ts 4.17

 

John Lennon, inteligente, rico, viajado, famoso, um dia teve uma boa idéia: compor uma música imaginando o mundo em paz, igualdade e justiça.

Mas no seu sonho, tirou o principal: Imagine que não há nenhum céu.

Não se pode imaginar qualquer tipo de felicidade futura sem o céu.

 

Em contraste, um homem do campo, pobre, analfabeto, em entrevista numa revista disse: “Lá no céu é todo mundo triste, num canto”.

 

Se depender da imaginação humana, o rico e o pobre, o culto e o ignorante, erram feio.

Graças a Deus que não usamos nossa própria imaginação para falar do céu.

É o próprio Deus quem nos revela pela Sua palavra.

Se usamos um pouco de imaginação é a partir da revelação de Deus, e mesmo assim sabemos que podemos estar enganados.

Não cremos no céu porque o entendemos o céu, ou porque nos parece lógico, ou por qualquer outro motivo.

Mas cremos no céu, tal qual está escrito, porque Deus nos disse que é assim.

E seja como for, nós, crentes, sabemos que somos habitantes do céu!

 

E você, amigo?

Saiba que aquelas pessoas que estarão no céu, sem serem ladrões, mentirosos, efeminados, idólatras, etc., não é porque, por méritos próprios, deixaram essas coisas para trás e tornaram-se pessoas boas.

Naquele mesmo trecho, Paulo explica o que aconteceu: 1Co 6.11

A pessoa que vai para o céu é a que foi lavada pelo sangue de Cristo.

Após a conversão, o crente melhora muitíssimo o nível moral e, embora ainda peque, não o faz mais de maneira natural, rotineira e prazerosa, como antes.

O crente abandona os procedimentos que eram normais e faziam parte do seu dia a dia. E quanto peca, sofre muito, arrepende-se e pede perdão.

Ele não se caracteriza mais como alguém naquela lista.

Mas ele vai mesmo para o céu é porque tem fé em Cristo.

É Deus quem nos livra do inferno e nos leva para o céu, para o reino do Filho dEle.                     

Que tal mudar o seu destino eterno, crendo em Cristo? Vamos para o céu juntos!

Que Deus nos abençoe. Amém 

Mauro Clark, 70 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2023
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2023 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b